Mudra: equilíbrio e energia com as mãos

 

 

Um gesto pode diminuir a ansiedade, regularizar a respiração e temperar a saúde, essa é a convicção que inspira a filosofia e a medicina oriental. O Yoga nasceu na Índia séculos atrás como exercício do corpo e da mente. Os Mudras fazem parte dessa ginástica e são posturas das mãos para se juntar à meditação.

Mudras são gestos feitos com os dedos das mãos, capazes de estimular áreas específicas do cérebro, induzindo a estados meditativos que favorecem um estado de consciência mais apurado e um relaxamento psíquico e físico.

Mudra é uma palavra que se origina do sânscrito e significa selo. A sílaba “Mud” significa alegria e “Ra” significa suscitar. Mudra seria um selo que suscita alegria.

Mudra é uma palavra com muitos significados, é caracterizada como gesto, posicionamento místico das mãos, como selo ou também como símbolo.

Os mudras podem ser praticados em qualquer momento e são úteis especialmente nas pequenas emergências emocionais.

São posições das mãos que agem directamente nos meridianos, canais dentro dos quais, segundo a medicina Ayurvédica e a chinesa, flui a energia vital.

Cinco posições para usar em momentos difíceis

Cada posição age em um determinado estado de ânimo.

A cada dedo da mão corresponde a energia de um órgão vital e a sua respectiva emoção.

Segundo a medicina oriental, o polegar corresponde ao pulmão e as emoções de ansiedade e tristeza.

Ao dedo indicador corresponde o intestino grosso que no Yoga se relaciona com a angústia e ao clássico medo na altura do ventre.

O dedo médio está relacionado ao fígado e ao pericárdio, membrana que reveste o coração e raiva e irritação são as emoções correspondentes.

O dedo anular está relacionado com o tórax e com o estômago, sede da saudade e melancolia.

O dedo mínimo relaciona-se com o intestino delgado, representa o emocional e o corpo dos desejos.

 

Mudra das Cinco Emoções

Exercício que serve para trazer a calma quando nos sentimos perturbados.
Com a mão direita pegar o dedo interessado na emoção que vos perturba. A seguir numa posição cómoda segure-o durante dez minutos. Repetir o gesto também com a outra mão.

Mudra do Cálice

Serve para quando há ideias confusas ou escolhas importantes a fazer. Quando enfrentamos um momento de indecisão, para sair do impasse: sentar com as pernas cruzadas e os braços relaxados com palmas das mãos voltadas para cima, apoiar os dedos da mão direita (ou vice-versa conforme sintam mais natural) e a seguir unir as pontas dos polegares.
Este mudra serve para equilibrar as duas polaridades que convivem em cada um de nós e que estão representadas pelas nossas mãos.
A esquerda corresponde ao hemisfério direito do cérebro, a sede do pensamento irracional, dos sentimentos e da criatividade.
É a mão yin que representa a nossa parte feminina.
A direita corresponde ao hemisfério esquerdo, onde reside a racionalidade.
É a mão Yang, que exprime a força de vontade, as acções e as decisões, o nosso lado masculino.

Mudra Divina

Para situações que despertam nervosismo ou inquietude.
Serve para reconquistar a lucidez e a concentração.
É a posição mais conhecida de quem pratica o Yoga.
Executa-se com ambas as mãos, voltando-se as palmas para o alto e unindo a extremidade do polegar à extremidade do dedo indicador.
Segundo a filosofia indiana representa o encontro entre Deus (polegar) e o Homem (dedo indicador).
Apresenta um poder tranquilizador pelo facto de agir sobre a respiração

Surya ou Ravi Mudra

Esta posição ajuda a equilibrar a respiração em todas as situações nas quais por ansiedade, raiva, medo ou simplesmente fadiga física sentimos estar sem fôlego. Flectir o dedo anular e apoiá-lo contra a palma da mão, ajudando com a ponta do polegar que irá se posicionar sobre a unha do dedo anular. Relaxar todos os outros dedos.
Fazer este exercício com ambas as mãos.

Mudra Namaskara

É o gesto da prece, mudra da oração e da saudação. A simples união de suas mãos no centro do peito simboliza a luz do coração que se irradia para a pessoa que está à sua frente e também para o ser divino que você é.
Essa postura reequilibra as polaridades Ying e Yang, ou seja as forças activas e passivas, e ajuda a tornar as nossas acções mais harmoniosas e equilibradas.

Cumprimenta-se a pessoa com esse gesto dizendo a palavra NAMASTÊ que significa: "O Deus que habita em mim saúda o Deus que existe em você."

 

 

Mariagrazia Marini

psicóloga clínica psicoterapeuta

(fotos Helena Silva)

 

 

 


 

 

info@psico-online.net
2007 Todos os direitos reservados