Psicopatologias

 

As doenças psicológicas mais frequentes hoje em dia são aquelas relacionadas com as mudanças de humor (depressão e doença bipolar), com a ansiedade (ansiedade generalizada, transtorno de pânico, transtorno obsessivo-compulsivo, fobias), de comportamento alimentar(anorexia e bulimia) e ainda transtornos borderlines e transtorno de deficit de atenção.

As condições da vida atual, onde impera um individualismo exacerbado, colocam as pessoas em situações de desamparo. As relações afetivas são muitas vezes prejudicadas pelas exigências de perfeição e pelo narcisismo. Há muita exigência em todos os sentidos: sucesso profissional, social, beleza, juventude, etc. Não há lugar para o erro e falhas. O surgimento dessas patologias responde ao fracasso na busca destes objetivos quando as pessoas não possuem uma estrutura psíquica capaz, fortalecida e preparada para fazer frente à essa realidade.

Depressão é uma das doenças psiquiátricas mais frequentes. Uma em cada quatro mulheres e um em cada dez homens, podem vir a ter crises depressivas durante a vida desde a juventude até à terceira idade.

Não deve ser confundida com sentimentos de tristeza reativos a algum acontecimento da vida. Revela-se através do desânimo, falta de interesse e motivação, incapacidade de sentir prazer e alegria e presença de uma apatia geral.

Dicas:
Compartilhe seu problema.
Dedique-se a alguma atividade de que goste.
Estabeleça objetivos possíveis.
Pratique exercícios físicos.

Ansiedade generalizada: 3,4% da população adulta sofre de ansiedade. Caracteriza-se por uma preocupação excessiva e irracional, com questões do quotidiano e acontecimentos futuros, sentidos como negativos e desestabilizadores.

Dicas:
Mude sua atitude em relação ao problema.
Respeite suas limitações e quando for preciso, peça ajuda.
Respire fundo e calmamente. Feche os olhos, imagine-se num lugar calmo e acolhedor.
Mantenha pensamentos positivos e evite situações que remetam pensamentos negativos ou autodestrutivos.

Transtorno de pânico: é uma patologia psíquica que acomete 8% da população e caracteriza-se pelo surgimento repentino de episódios de angústia intensa e incontrolável, que pode deixar a pessoa aterrorizada e fora de si. Os principais sintomas são: dificuldade respiratória e falta de ar, aumento do ritmo cardíaco e palpitações, vertigens, tonturas, náuseas e tremores, dor no peito e medo de morrer ou de enlouquecer.

Dicas:
Relaxe e respire profundamente com respiração diafragmática.
Faça exercícios físicos regulares ou caminhe.
Tente enfrentar as situações que tem evitado.
Reduza ou evite o consumo de cafeína e substâncias estimulantes.

Transtorno Bipolar: é um transtorno mental que acomete de 1% a 3% da população em geral e caracteriza-se por episódios de depressão alternados com episódios de mania, em que a pessoa se encontra eufórica e descontrolada.

Dicas:
Assuma e aceite as suas limitações.
Acredite em sua capacidade de recuperação.
Mude o seu estilo de vida, não consuma substâncias psicoativas e estimulantes.
Desenvolva hábitos saudáveis de alimentação e sono.

Transtorno obsessivo compulsivo: Acomete 2 a 3% da população geral. A idade média de início costuma ser por volta dos 20 anos, porém pode ter início ainda na infância, e acomete tanto homens como mulheres.

É um transtorno mental que se manifesta sob a forma de alterações do comportamento (rituais ou compulsões, repetições, evitações), dos pensamentos (obsessões como dúvidas, preocupações excessivas) e das emoções (medo, desconforto, aflição, culpa, depressão). Sua característica principal é a presença de obsessões: pensamentos, imagens ou impulsos que invadem a mente e que são acompanhados de ansiedade ou desconforto, e das compulsões ou rituais: comportamentos ou atos mentais voluntários e repetitivos, realizados a fim de reduzir a aflição que acompanha as obsessões.

Dicas:
Modifique crenças negativas.
Seja flexível e aceite os acontecimentos da vida.
Pratique técnicas de Exposição e Prevenção de resposta.
Reduza os níveis de ansiedade encontrando um hobby que goste.

Distúrbio do comportamento alimentar: Esses transtornos atingem entre 1 a 4% da população e seguem aumentando de frequência significativamente nos últimos anos. Anorexia que caracteriza-se por uma dieta insuficiente o que leva a pessoa a ter um peso extremamente baixo e bulimia ou compulsão alimentar quando há uma ingestão excessiva de alimentos.

Dicas:
Trabalhe a sua auto-estima e goste de si.
Conscientize-se do lugar que a comida está a assumir na sua vida.
Aprenda a aceitar e a lidar com os desafios da vida.
Faça diariamente algo divertido ou relaxante.

Fobias: atingem 23% da população. Fobias específicas como medo de animais, medo de altura, medo de atravessar túneis, medo de elevador, medo de sangue e outras, são encontradas em cerca de 12% da população enquanto a fobia social é encontrada em cerca de 8% (sendo este o único tipo de fobia com incidência maior em homens), e a agorafobia em pelo menos 3%. Caracterizam-se por um medo irracional e desmedido frente a um estímulo, objeto ou uma situação específica.
Uma fobia é um medo persistente e irracional que resulta no evitamento de forma consciente de objectos, actividades, situações, animais que são

Dicas:
Tenha clareza de seus pontos fortes e fracos.
Saia de sua "zona de conforto".
Comprometa-se com a vida.
Transforme as lamentações em decisões.

Transtorno Borderline: O transtorno da personalidade borderline é um problema comum que, segundo estimativas, afeta em torno de 10-14% da população global. Caracteriza-se por extrema instabilidade emocional e impulsividade e uma lista de nove sintomas: sensação constante de vazio; acessos injustificáveis de raiva; alternância constante e extrema de humor; relações interpessoais intensas e instáveis; comportamento impulsivo; ideias frequentes de suicídio ou automutilação intencional; episódios de paranóia; auto-imagem instável; e esforços desmedidos a fim de evitar um abandono verdadeiro ou imaginado.

Dicas:
Procure controlar as suas emoções, desenvolvendo competência de controlo dos impulsos
Construa uma auto-imagem positiva.
Expresse seus sentimentos de maneira saudável
Procure não idealizar mas ver a realidade.

Transtorno de déficit de atenção e hiperactividade
Incide em 3 a 6% das crianças em idade escolar e pode manter-se durante a vida adulta. É caracterizado por sintomas de desatenção, hiperactividade e impulsividade.

Dicas:
Trabalhe o seu autoconhecimento
Seja você mesmo.
Aprenda a ouvir as outras pessoas.
Pratique algum esporte.

Concluindo: A psicoterapia é sempre a melhor opção para o tratamento dos problemas do foro psicológico, relacionados com o mal-estar da vida atual. Além de promover o autoconhecimento, ajuda a pessoa a libertar os medos, as crenças disfuncionais, a aumentar a auto-estima e a diminuir a insegurança. Permite que a pessoa se sinta mais equilibrada e tranquila e possa usar as frustrações como desafios e as crises como oportunidade para enfrentar as dificuldades da vida.

 

Mariagrazia Marini  Julho2013

 


 


Desenvolvido por INTERACTIVE.com - info@interactive.com
info@psico-online.net
2001 Todos os direitos reservados